Recifes de coral: o que são e curiosidades 

Recifes de coral: o que são?

Consistem no empilhamento  dos esqueletos calcários de animais agrupados em colónias, essencialmente dos cnidários da sub ordem dos madreporários, nos mares tropicais.

O recife é então formado pela fusão de coralites de pólipos e a sua superfície irregular é coberta por algas que produzem açúcares por fotossíntese.

Os pólipos são animais com forma cilíndrica com uma largura que pode variar entre 1 a 3 centímetros. Vivem dentro do seu esqueleto duro, conhecido por coralite. Coralite, é então o nome atribuído à cobergura da cálcio segregada pelos pólipos.

Os recifes de coral crescem em águas transparentes.

Os recifes oferecem abrigo e sustento para uma emensa variedade de espécies.

 

Curiosidades:

  • A grande barreira de coral, que se estende por cerca de 2600 quilómetros ao largo da costa Queensland, na Austrália é visível do espaço. Assente no Mar de Coral,é formada por mais de 3000 recifes individuais e cerca de 900 ilhas de coral. Sustenta uma enorme variedade de organismos, mas é muito vulnerável a varias ameaças ambientais.

  • Varias espécies de peixes, movem-se em cardumes sobre a barreira. Procurando comida e fugindo de predadores. Mais de 4000 espécies de peixes vivem à volta dos recifes de coral. Estes peixes alimentam-se de algas que crescem nos corais e de pequenos animais que flutuam na água. As fendas dos recifes servem de abrigo para estes animais marinhos. (Leia também: 10 dos peixes mais bonitos do mundo)

  • Os pólipos dos corais agarram a comida com os tentáculos urticantes, deslocando-a para a boca. Elimina os residuos pela mesma abertura.  O pólipo vive no interior da sua coralite, que lhe confere protecção.

  • O coral Diplora, que cresce é esférico e tem uma aparência semelhante a um cérebro humano.  Vive pelo menos 200 anos e ao anoitecer ondulam os seus tentáculos sobre as brechas da superfície para a proteger.

  • O coral branco ( Acropora species), perdeubos seus dinoflagelados simbioticos  ( zooxantelas ) que lhe davam cor. Mas, se houver colonização de outras espécies de zooxantelas nestes corais, estes podem recuperar a sua cor.

Artigos Recomendados